Fortaleza CE

» “É proibida a entrada”: veja como usar a concordância de gênero

1ª) A concordância na frase ”Foi necessário a colocação de placas de aço para a passagem de veículos” está correta?

A leitora tem razão. O certo é “Foi NECESSÁRIA a colocação de placas…”

A presença do elemento determinativo (artigo definido = “a” colocação) obriga a concordância no feminino.

É o mesmo caso de: “É PROBIDA a entrada de estranhos”; “Não foi PERMITIDA a remessa dos dólares”; “A cerveja é muito BOA”.

2ª) Na frase: “Seu carisma aumentou ao ser preso e ter sua medalha olímpica caçada por se recusar a lutar na guerra do Vietnam”, o verbo é CAÇAR ou CASSAR?

Alguns “animais” realmente merecem ser caçados. Entretanto, a medalha olímpica do grande campeão foi CASSADA. Isso significa que o seu título foi “anulado, perdeu a validade”.

É o mesmo que CASSAR (=anular) o mandato de um deputado ou a licença para funcionamento de uma empresa.

3ª) DA ou DE A, DO ou DE O?

Carta de uma leitora: “Até hoje não consegui compreender a diferença entre “de a/o” e “da/do”. Por que em alguns casos escreve-se e fala-se a preposição sem fazer a combinação com o artigo?”

A preposição “de” não faz a combinação com o artigo quando o termo a seguir exerce a função de sujeito. Compare:

“Eu saí antes do aluno” (“do aluno” não é sujeito);

“Eu saí antes de o aluno terminar a prova” (“o aluno” é o sujeito do verbo “terminar”).

A dica é o verbo. Para que o termo seja sujeito, é necessária a presença de um verbo (=sempre no infinitivo):

“Os ladrões chegaram antes de a agência abrir.”

“Isso se deve ao fato de o atacante não ter assinado o contrato.”

“Na hipótese de os parlamentares aceitarem as emendas…”

“Apesar de as ideias serem boas …”

4ª) Leitor quer saber se DIFERENÇAR e DIFERENCIAR são sinônimos. Segundo ele, nos seus bons tempos de escola, aprendeu que “fazer diferença” é DIFERENÇAR, e não DIFERENCIAR como ouvimos hoje com muita frequência.

A verdade é que DIFERENÇAR e DIFERENCIAR são sinônimos. Segundo os nossos dicionários, DIFERENÇAR significa “fazer diferença” e DIFERENCIAR, entre outras acepções, também pode ser usado no sentido de “fazer diferença”.

5ª) Sobre a frase: “Estamos habituados a falar muito para dizer pouco, a escrever mais que o necessário, a discursar mais para impressionar do que comunicar.”

Leitor pergunta: “Não seria este um caso típico para se usar o ponto e vírgula no lugar das duas vírgulas empregadas?”

Não é preciso substituir as vírgulas pelo ponto e vírgula. O uso do ponto e vírgula é para indicar uma pausa maior. Se não houver vírgula (=pausa menor), para que o ponto e vírgula?

6ª) A respeito da frase: “Usaram-se e abusaram-se de palavras e expressões que nada dizem.”

Foram tantas cartas que perdi a conta. Os leitores estão atentíssimos.

Misturaram as duas possibilidades de indeterminar o sujeito da frase: ou “Usaram e abusaram de palavras e expressões que nada dizem” ou “Usou-se e abusou-se de palavras e expressões que nada dizem.”

7ª) Leitor quer saber se está correta a pontuação da frase “Se dirigir; não beba, se beber; não dirija”.

Já escrevi a respeito dessa frase. Bêbado estava quem a escreveu.

O correto é “Se dirigir, não beba; se beber, não dirija”. As vírgulas indicam o deslocamento das orações subordinadas (= “se dirigir” e “se beber” são orações subordinadas adverbiais condicionais). O ponto e vírgula indica a pausa maior que separa as duas ideias coordenadas: “não beba se dirigir ou não dirija se beber”. [...]

Continue lendo +

FONTE: Globo.com

CEBRAC Fortaleza temos :

Comunicação e Expressão

Este módulo tem como principal objetivo desenvolver a habilidade do aluno em se comunicar de maneira eficaz e profissional. Leva ao aluno diversas informações e ferramentas capazes de aprimorar o seu desenvolvimento.

Recomende

Venha para o CEBRAC

Os melhores cursos para você fazer o seu futuro. Qualifique-se e conquiste seu espaço no mercado de trabalho. Matricule-se já!

Infos do artigo

4 de maio de 2012
Comentários desativados

Siga-nos no Google+

No @cebrac

No public Twitter messages.